Resultados Europeus da Monitorização da Vaca-Loura

A Rede Europeia de Monitorização da Vaca-Loura divulgou os resultados preliminares que têm sido alcançados em toda a área de distribuição da vaca-loura, aproveitando para facultar alguma informação sobre o desenvolvimento da plataforma.
De salientar que Portugal se destaca por ter poucos transetos efetuados, no entanto todos vão ao encontro da metodologia pretendida.
Faça parte deste projeto! Increva-se no website da Rede Europeia e adopte um transeto perto da sua localidade.
Toda a informação necessária (protocolo e fichas de campo) encontram-se traduzidos.
Leia o comunicado traduzido:

“A equipa cordenadora da Rede Europeia de Monitorização da Vaca-Loura agradece-lhe por ajudar na monitorização da vaca-loura no seu país. Juntamente com um grande grupo de voluntários como você, esperamos poder acompanhar a tendência populacional da vaca-loura em toda a sua distribuição, o que apenas é possível através de um apoio conjunto.

A temporada da vaca-loura está a começar e talvez até já estejam ativos na sua região. Se já iniciou um transecto, ótimo! Esperamos poder contar com o seu apoio para percorrer o transecto também nesta temporada, pois precisamos de longas séries de tempo para detectar qualquer declínio ou aumento da população. Se você ainda não começou um transecto, esperamos que você possa fazê-lo este ano. Se precisar de ajuda para isso, entre em contacto direto com a Rede Portuguesa de Monitorização da Vaca-loura (www.vacaloura.pt).

Já deve ter notado que o nosso site nem sempre está perfeito nos últimos meses. Em determinados momentos, alguns formulários ainda estão temporariamente indisponíveis ou não estão a funcionar corretamente. Queremos pedir desculpas por isso, mas atualmente o site está de volta totalmente operacional. Durante os últimos meses, tentamos implementar um separador de administração para que os representantes do país de nossa rede possam acompanhar as suas atividades e orientá-lo caso encontrassem possíveis erros. Por favor, verifique seus dados entrando e olhando para “my transects” e “my transects walks” sob “my observations”. Se algum dado parecer perdido, avise-nos. Se você ainda precisar  de preencher os seus dados de transecto do ano passado, agora é hora de fazê-lo. Além disso, não se esqueça de preencher a avaliação do habitat todos os anos, para que possamos ter uma ideia do que está acontecendo ao redor do transecto, para que possamos interpretar melhor seus resultados de transecto.

Tenha em atenção que o formulário “add transect walk” não tem layout, porque existe um conflito entre o formulário e o layout do nosso website. Mas você pode usá-lo. Vamos tentar corrigir isso o mais rápido possível.

Resultados

Finalmente, você provavelmente tem-se questionado sobre os resultados que todos esses dados de transecto geraram até agora. Atualmente, há 137 voluntários registados e novos voluntários já se inscreveram para a nova temporada. Mais da metade deles vem do Reino Unido, enquanto a Espanha e a Bélgica são os próximos países importantes de origem.

Ao todo, 34 transectos foram registrados. Os transectos seguem uma distribuição muito semelhante aos voluntários, a maioria dos transectos encontra-se no Reino Unido e Espanha (9 cada), seguida pela Bélgica (5) e Portugal (4).

Finalmente, 193 monitorizações de transetos foram inseridas. Estes incluem 58 monitorizações do período 2012-2015 (antes do website estar operacional) de três transectos belgas. Em 2016, registaram-se 52 monitorizações, provenientes de 9 transectos diferentes (4 da Bélgica, 3 de Portugal, 1 da Suíça e 1 da Alemanha). Em 2017, foram adicionados 83 percursos transectados de 17 transectos (7 Espanha, 3 do Reino Unido, 3 dos Países Baixos, 2 da Alemanha, 1 da Suíça e 1 de Portugal). Mas temos certeza de que ainda muitos dados ainda não foram inseridos (incluindo alguns de Portugal).

Os transectos individuais foram percorridos entre 1 e 11 vezes por ano em 2016-2017 (média de 5,2). Da maioria dos transectos, recebemos dados de pelo menos três transectos por ano, o que torna os dados úteis para futuras análises, mas, idealmente, deve ser pelo menos seis transectos por ano (15 de 26 casos). Os “voluntários” mais ativos foram de Portugal e da Espanha que registaram 31 e 26 transectos, respectivamente. No entanto, ambos representam uma organização e inseriram dados de várias pessoas e transectos.

No total, todos os dados inseridos resultaram em 176 observações de vacas-louras em 2017 e 100 em 2016. Essas observações incluem 68 fêmeas, 185 machos e 23 desconhecidos. Em relação à atividade, foram observados 156 escaravelhos, 70 não voadores e os 50 restantes distribuídos em outras atividades (mortos, copulando, desconhecidos). O máximo foi de 17 observações de vaca-louras durante um único transecto a pé, enquanto 59 transectos não tiveram atividade.

Ainda não é possível mostrar tendências , já que temos dados de apenas alguns transectos que foram percorridos em 2016 e 2017 (mas muitos dados de 2017 ainda estão faltando). Também o número de transectos é limitado e a escala de tempo é demasiado curta para qualquer tendência fiável ou estimativa da variação ano a ano. No entanto, algumas análises já são possíveis.

Por exemplo, podemos notar que a estação parece ser um pouco mais cedo no noroeste da Europa (Reino Unido, Bélgica, Holanda, Alemanha e Suíça) em comparação com a Península Ibérica (Espanha e Portugal), conforme ilustrado no gráfico abaixo. No eixo X, o dia é dado a partir de 1 de maio.

 

De seguida pode ler o comunicado na íntegra:
“The team behind europeanstagbeetlemonitoring.org likes to thank you for registration at our site. Together with a large group of volunteers such as you, we hope to be able to follow up the population trend of the remarkable European stag beetle. This is only possible with a joined effort.
The stag beetle season is starting. Maybe they are already active in your region or they will become active in the coming weeks. If you already started a transect, great! We hope we can rely on your support to walk the transect also this season as we need long time series in order to detect any decline or increase in the population. If you haven’t started up a transect yet, hopefully you can do so this year. If you need any help for that, look up our network to see who can help you in your country.
You might have noticed that our website was not always looking perfect in the past months. At certain times some forms where even temporarily unavailable or not working properly. We like to apologise for this but currently the website is back fully operational. During the past months we have tried to implement an admin section so that the country representatives from our network could follow up on your activities and guide you if they come across any potential errors. Please check your data by loging in and looking at ‘my transects’ and ‘my transect walks’ under ‘my observations’. If any data seems to be lost, let us know. If you still need to fill in your transect data from last year, it is now time to do so. Also, don’t forget to fill in the habitat assessment each year so we get a idea of what is happing around the transect so we can further interpret your transect results.
Please note that the ‘add transect walk’ form is currently without layout as there is a conflict between the form and our website layout. But you can use it. We’ll try to fix this as soon as possible.  
Results
Finally, you are probably wondering about the results that all these transect data has generated so far. Currently, there are 137 volunteers registered and new volunteers are already registering for the new season. More than half of them come from the UK, while Spain and Belgium are the next important countries of origin.
Altogether, 34 transects have been registered. The transects follow a very similar distribution as the volunteers, most transects lie in UK and Spain (9 each), followed by Belgium (5) and Portugal (4).
Finally, 193 transect walks have been entered. These include 58 walks from the period 2012-2015 (before the site was operational) from three Belgian transects. In 2016, 52 transect walks were registered, coming from 9 different transects (4 from Belgium, 3 from Portugal, 1 from Switzerland and 1 from Germany). In 2017, 83 transect walks were added from 17 transects (7 Spain, 3 UK, 3 Netherlands, 2 Germany, 1 Switzerland and 1 Portugal). But we are pretty sure that still a lot of data has not been entered yet.  
Individual transects have been walked inbetween 1 and 11 times per year in 2016-2017 (mean 5.2). From most transects, we received data from at least three transect walks per year which makes the data useful for further analysis in the future but ideally it should be at least six transect walks per year (15 out of 26 cases). The most active ‘volunteers’ were from Portugal and Spain and entered 31 and 26 transect walks respectively. However, both represent an organisation and entered data from several people and transects.
In total, all entered data resulted in 176 stag beetle observations in 2017 and 100 in 2016. These observations include 68 female, 185 males and 23 unknowns. Regarding their activity, 156 stag beetles were seen flying, 70 non-flying and the remaining 50 distributed over other activities (dead, copulating, unknown, changing). The maximum was 17 stag beetle observations during a single transect walk while 59 transect walks had no activity.
A trend cannot be shown yet as we have data from only a few transects which were walked in 2016 and 2017 (but lots of 2017 data is still missing). Also the number of transects is to limited and the time scale is too short for any reliable trend or estimation of the year-to-year variation. Nevertheless some analyses are already possible.
For example, we can notice that the season seems to be a bit earlier in North-western Europe (UK, Belgium, Netherlands, Germany and Switzerland) compared to Iberia (Spain and Portugal) as depicted on the graph below. On the X-axis, the day is given starting from the 1st of May.”